A Reconstrução Facial dos Santos Peruanos

308

Os primeiros contatos

Em outubro de 2014 fui convidado a participar do VI Congreso Internacional de Computación e Telecomunicaciones (COMTEL). Pela primeira vez viajei ao Peru e pude conhecer aquele país maravilhoso, cheio de história e belezas naturais.

Enquanto eu palestrava em um evento, o Dr. Paulo Miamoto participava de outro, o II Curso Internacional de Reconstrucción Facial Forense. Lá ele se encontrou com o Dr. Jesus Quiróz Mejia (presidente da SPOLFOC) e o Dr. Juan Carlos Quiroz. O Dr. Miamoto e o Dr. Juan Carlos Quiroz decidiram entrar em contato com o Frei Luis Enrique Camacho, do Convento Santo Domingo, instituição na qual repousam os restos mortais de Santa Rosa de Lima (1586-1617), São Martinho de Porres (1579-1639) e São João Macías (1585-1645).

San Martin de Porres – detalles de la reconstrucción del rostr…San Martin de Porres – detalles de la reconstrucción del rostro del santo. La nueva imagen es un éxito en Lima!São Martinho de Porres – detalhes da reconstrução do rosto do santo. A nova imagem faz sucesso em Lima!http://www.latina.pe/noticias/reporte-semanal/san-martin-de-porres-detalles-de-la-reconstruccion-del-rostro-del-santo-7479/

Posted by Cícero Moraes on Quarta, 11 de novembro de 2015

A primeira reunião correu tranquilamente e ficou acordado que eu e o Dr. Miamoto participaríamos de uma segunda reunião (eu não estava na primeira) onde acertaríamos os detalhes do projeto.

No meu último dia de evento, acompanhei o Dr. Miamoto ao centro da cidade de Lima, onde compramos souvenirs e apreciamos as cervejas locais. Quando o final da tarde se aproximou, nos deslocamos até o convento Santo Domingo. Lá chegando ficamos sem bateria nos dois celulares e ao procurar a entrada do museu Santo Domingo, demos com portas fechadas. Como a igreja também estava fechada, só nos restou tocar a campainha do convento. Depois de tocarmos algumas vezes apareceu um senhor que abriu a porta e nos falou algumas palavras com um tom bastante alterado. Compreendi apenas que ele se referia ao horário, que era tarde e o expediente havia terminado. Ele fechou então a porta e saiu pela rua. Olhei para o Dr. Miamoto, sem esperança de conversar com o frei, pois a nossa única ligação com o convento estava comprometida. No entanto, ao olhar para a porta vi que uma luz saia pela fresta… ela parecia entreaberta. Falei isso ao Dr. Miamoto e ele se aproximou empurrou e… a porta abriu.

Adentramos o convento descrentes com tudo aquilo que acontecia e rapidamente um guarda se aproximou, com o semblante grave nos perguntando o que fazíamos ali. Informamos a ele que estávamos lá para falar com o frei Luis Enrique ao que prontamente ele informou: -Ah, ele está logo ali atrás com outras pessoas.

Seguimos pelo corredor externo até nos encontrarmos com o frei, que nos recebeu com um largo sorriso. Na sequência fomos até o seu escritório e tivemos uma produtiva reunião, onde acordamos que voltaríamos a Lima em agosto de 2015 para digitalizar os crânios dos três santos, que seriam exumados.

Organizando a nossa ida

Ao recebermos a afirmativa de que iríamos reconstruir os santos peruanos, entramos em contato com as duas universidades peruanas que haviam organizado os eventos que participamos. As universidades se colocaram à disposição para nos auxiliarem com o que precisássemos no Peru e ficariam responsáveis também por nossa volta aquele país.

No entanto, no decorrer dos meses houveram alguns problemas com as políticas de patrocínio das faculdades. O financiamento dos bilhetes aéreos começou a demorar e eu e o Dr. Miamoto decidimos buscar patrocínio aqui mesmo no Brasil.

Felizmente apareceu no projeto o Sr. Fernando Gregório, arquiteto da Diocese de Santos e Ministro da Ordem Franciscana Secular da Fraternidade de Santo Antônio do Embaré. Desde o início ele nos colocou em contato com uma série de pessoas que poderiam estar interessadas no projeto. Muitas reuniões foram feitas, mas o patrocínio não aparecia, até que ele entrou em contato com o Pe. Claudio, da Paróquia de Santa Rosa de Lima, em Guarujá-SP. Em face do projeto apresentado o padre se comoveu com possibilidade de ver a face da santa que nomeava a paróquia e como o seu dia estava se aproximando (26 de setembro) ele decidiu buscar fundos junto a comunidade para patrocinar a metade dos custos do projeto.

 Aproveito esse momento para agradecer profundamente ao Sr. Fernando Gregório, pois fomos ajudados por ele não apenas nesse projeto, mas em muitos outros. Sua boa vontade transcende ao auxílio com o networking e chega ao campo da motivação efetiva, pois ele sempre vai a campo conosco. Trata-se de um grande ser humano, um franciscano exemplar que temos em alta conta.

No outro lado do Brasil estava eu com a responsabilidade de conseguir a outra metade do numerário. Não foi difícil para minha pessoa pensar em um eventual interessado. Digiri-me ao Coordenador do Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da faculdade que eu sou professor, a FASIPE. Explanei para ele o projeto e como de costume o Prof. Adriano observou, vislumbrou o futuro e apoiou prontamente, pontuando possibilidades de intercâmbio tecnológico entre o Brasil e o Peru. Rapidamente ele marcou uma reunião com o Diretor Presidente da instituição, o Prof. Deivison Pinto. Os dois analisaram o projeto e o Diretor aceitou financiá-lo. Estávamos com todos os recursos necessários para nos deslocarmos até Lima.

Aproveito também para agradecer aos chefes, o Prof. Adriano Barreto e o Prof. Deivison Pinto, e faço isso de coração. Um dos motivos de eu trabalhar naquela faculdade, mais do que todos os outros, é que lá sempre sou apoiado ao participar de um projeto, principalmente se esse projeto traz novidades no campo tecnológico. Muito obrigado pelo apoio e pela oportunidade de fazer parte daquela equipe.

Depois de levantarmos os fundos que cobriram o deslocamento e os honorários, procuramos novamente as universidades peruanas, que acordaram em cobrir os custos de estada, alimentação e deslocamento em Lima.

A digitalização dos crânios santos

Fomos em três pessoas ao Peru. Eu, o Dr. Miamoto e o Diretor de Arte Daniel Ludwig que ficaria responsável pela filmagem dos trabalhos. Esse material se converteria em uma documentário posteriormente.

O hotel que escolheram para nós não poderia ser melhor. Os restaurantes aos quais fomos almoçar também, um mais chic que o outro, no entanto percebemos uma coisa conforme os dias passavam. O tempo que levávamos para o deslocamento Hotel-Convento-almoço-Convento-Janta-Hotel consumia parte considerável do dia. Aprendemos que, quando se participa de um evento, esse tratamento é excelente, o conferencista se sente importante e a estada no país se torna um sonho, mas quando se está trabalhando em um projeto como o dos santos, onde cada segundo próximo aos crânio era vital, três horas perdidas no dia ao invés de trazer alegria acabava nos oferecendo mais stress.

comboio

No outro dia, um pouco mais descansados fomos até o Convento Santo Domingo, onde nos esperava um comboio, composto por dois carros com policiais armados e duas vans que levariam os religiosos e os pesquisadores para uma clínica de radiologia onde os crânios seriam tomografados. O momento foi amplamente documentado por vários canais de TV, parecia um daqueles filmes de ação, onde um chefe de estado é transportado e há risco de um terrorista aparecer no caminho.

Chegamos na clínica e o espaço ficou pequeno diante de tanta gente. Ninguém esperava aquilo, as salas apinhadas de pessoas, todos curiosos em relação aos crânios, afinal, estavam lá personalidades que faziam parte da história do Peru. Tudo correu conforme o planejado, as tomografias foram feitas e os arquivos gerados. Voltamos para o convento no comboio e apreciamos mais alguns minutos de um devaneio hollywoodiano com os batedores da polícia protegendo a preciosa carga que era transportada.

 Cabe aqui também o compartilhamento de uma informação. Quando muitas pessoas vêem minhas postagens no Facebook ou no Google+, imaginam que minha vida é muito tranquila e que sempre estou contente com tudo o que está acontecendo. Que viajo bastante e que isso me traz felicidade constante e que nada de ruim acontece durante esses episódio. Todavia, aconteceram algumas coisas em Lima que me entristeceram profundamente. Aliás, passei a desenvolver uma pequena paranóia que eu não tinha antes de trabalhar com os crânios dos santos.

Primer estudio a restos óseos de Santos Peruanos│RPPEntrevista AO VIVO em espanhol para o RPP Noticias do Peru, um dos programas jornalísticos mais importantes do país.

Posted by Cícero Moraes on Quarta, 5 de agosto de 2015

O primeiro episódio aconteceu logo nos primeiros dias. A rotina estava muito corrida e pouco tempo sobrava para a equipe dormir. Íamos muito tarde para a cama e acordávamos muito cedo. Nesse dia, convocaram eu, o Daniel e o Dr. Miamoto para participar de uma entrevista em um conhecido programa de Rádio/TV da emissora RPP. Lá fomos nós, cansados, com sono e preocupados em terminamos dentro do tempo para irmos depois a uma coletiva de imprensa, terminá-la e correr para o convento trabalhar com os crânios. O fato é que, ao chegar na emissora eu soube que apenas o Dr. Miamoto e o Dr. Jesus Quiroz entrariam ao vivo no programa, o que me incomodou profundamente, não necessariamente pelo fato de não participar da entrevista, mas de ter me preparado para nada. Poderiam ter me avisado antes. Já fiquei mal humorado. Além disso, o Daniel foi informado que não poderia filmar o momento o que o incomodou muito também. No final, nós três batemos o pé, o Daniel filmou tudo e eu participei da entrevista. Se você notar, no vídeo, eu sou o único que não aparece os dados ao falar. Tudo bem, imaginei que aquilo seria um evento isolado. Apenas imaginei.

Na coletiva de imprensa, na estrema esquerda, fora da mesa que não continha uma placa com meu nome

Coletiva de imprensa, na estrema esquerda, oculto pelo púlpito, fora da mesa que não continha uma placa com meu nome

 Assim que a entrevista foi encerrada, nos deslocamos para o Convento Santo Domingo, onde nos esperava uma coletiva de imprensa. Como disse, imaginei que o problema da entrevista seria o único e fui tomar o meu lugar na mesa dos componentes do projeto. Comecei a procurar o meu nome e… cadê? Os caras não me colocaram na relação de entrevistados. Como isso aconteceu? Imaginei que era plausível que meu nome figurasse, já que eu era um dos coordenadores principais do projeto e que era o responsável pela reconstrução digital. Daí comecei a ficar realmente “puto” como diriam. Novamente o pessoal interveio e “me arrumaram uma cadeira” que ficou deslocada, fora do espaço programado para os integrantes que inicialmente foram chamados. Olhe dileto leitor, você não imagina como eu me senti humilhado naquele momento, mas por teimosia decidi me manter firme e ir até o fim.

Nos dias que se seguiram, percebi que parte da imprensa citava o nome de alguns dos participantes no projeto e não o meu. Eu nunca, nunca havia ligado para aquilo, mas comecei a desenvolver uma “bronca” em relação a esses episódios. Para piorar quando voltamos ao Brasil, assistimos a uma reportagem da TV Latina,  que havia recebido a exclusividade para filmar o início do projeto. A emissora criou uma reportagem de 21 minutos falando do projeto como um todo e mostrando os trabalhos iniciais com os crânios e com a recontrução facial digital. Eles não apenas não colocaram nenhuma fala minha (gravei várias vezes com os repórteres) como editaram de uma forma que eu parecia um simples auxiliar do projeto…ora, como eu citei fui um dos coordenadores principais! De fato, aquilo não me incomodaria em outros tempos, mas depois da falta de respeito que fui alvo, confesso que me incomodei profundamente. Eu não queria aparecer mais do que as outras pessoas, apenas esperava ser citado para figurar historicamente no processo.

Esses episódios foram terríveis para a minha tranquilidade interpessoal. A gente sempre espera que o próximo tenha bom senso, mas a verdade é que temos que lutar pelo nosso território algumas vezes. Se por um lado entristeceu-me passar por isso, por outro me permitiu amadurecer e hoje, colocar as cartas na mesa antes das coisas saírem do controle.

A apresentação de Santa Rosa

A apresentação de Santa Rosa de Lima ocorreu em Guarujá-SP no dia  26  de agosto de 2015.

Rosto de Santa Rosa foi reconstituído por profissionais da regiãoMatéria veiculada na TV Tribuna (Globo da Baixada Santista) sobre a reconstrução facial de Santa Rosa de Lima.Link original: http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/jornal-tribuna-1edicao/videos/t/edicoes/v/rosto-de-santa-rosa-foi-reconstituido-por-profissionais-da-regiao/4416313/

Posted by Cícero Moraes on Segunda, 24 de agosto de 2015

Centenas de pessoas compareceram na Paróquia Santa Rosa de Lima, várias equipes de TV cobriram o evento, entre elas a TV Latina, que dessa vez colocou uma fala minha durante a entrevista.

lima_1

O mais impressionante em relação a essa revelação é que ela teve uma ampla aceitação por parte dos fiéis. A página oficial do site da Polícia do Peru foi ilustrada com uma imagem da reconstrução. Os posts relacionados a esse trabalho pontuaram entre os mais lidos no site do Terra e de algumas agências de notícias católicas.

lima_2

Diante de toda essa notoriedade sobressaiu-se o fato de tomarmos conhecimento de fotografias apresentada no site do MSN, nelas apareciam pessoas em Lima com a imagem de Santa Rosa reconstruída em grandes cartazes. Era o povo demonstrando apreço pelos resultados de nosso labor em equipe.

A apresentação de São João Macías

Voltei a Lima sozinho, para participar do VII Congreso Internacional de Computación e Telecomunicaciones (COMTEL) e como a data do evento era próxima a das comemorações de São João Macías, decidimos apresentar a face reconstruída por aqueles dias.

Matéria no jonal El Comercio sobre a reconstrução facial de São João Macías apresetando os crânio impressos em 3D pelo CTI Renato Archer

Matéria no jonal El Comercio sobre a reconstrução facial de São João Macías apresetando os crânio impressos em 3D pelo CTI Renato Archer. Link original.

A apresentação aconteceu na Basilica del Santissimo Rosario, anexa ao Convento Santo Domingo. Por ser o menos conhecido dos três santos o evento não teve tão ampla cobertura da imprensa, mas muitos sites noticiaram o acontecimento no Peru e no Brasil.

Público presente na Basilica del Santisimo Rosario para ver a face de São João Macías

Público presente na Basilica del Santisimo Rosario para ver a face de São João Macías

Em segredo, durante aqueles dias eu me desloquei até Arequipa, graças ao patrocínio da Universidade Inca Garsilaso de la Vega, e lá examinamos e tomografamos o crânio da beata Sor Ana de los Ángeles Monteagudo.

A apresentação de São Martinho de Porres

Desde o início nos alertaram que a festa de São Martinho de Porres seria bem maior do que as dos outros, mas não imaginávamos o que nos esperava.

PhotoGrid_1446495635237

Chegamos a Lima, eu e o Dr. Miamoto e dessa vez solicitamos que o hotel ficasse bem próximo ao evento. Imaginei que escolheriam o um hotel bem simples, conforme descrevi nas solicitações, mas o pessoal da Universidade Inca Garsilaso de la Vega me colocou no Sheraton, wow! Me senti um pop star!

PhotoGrid_1446650424834

Antes de ir ao Peru eu havia entrado em contato com a Embaixada do Brasil e agendamos uma visita. Fomos muito bem recebidos pelo embaixador, Dr. Marcos Raposo Lopes, pelo Secretário de Cultura, Dr. Jonas Paloschi e a Sra. Janayna Guerra.

csm_2015-11-03_rostrosanmar2_cf99a516f6

A face foi apresentada na noite de 3 de novembro, data das comemorações do santo, na Basilica del Santisimo Rosario. A população compareceu em peso, como podemos ver na fotografia acima.

csm_2015-11-03_rostrosanmar8_09eaa47ec9

A imprensa compareceu em peso e pouco tempo depois “pipocaram” matérias sobre o rosto do santo nos mais diferentes canais de TV, impressos e online.

martinho

Fomos surpreendidos positivamente pela aceitação popular da face reconstruída de São Martinho de Porres. Como apresentado na primeira matéria no início do post houve uma grande mobilização em torno da oficialização da reconstrução facial do notório dominicano. Acima um souvenir vendido nas ruas de Lima, com São Martinho e seu símbolo mor, a vassoura.

Conclusão

Descrevi aqui os bons e maus momentos do projeto de reconstrução dos santos peruanos. Sempre aprendemos com esses episódios e mesmo que alguma coisa desagradável aconteça, podemos converter um limão em uma limonada. Ao final o saldo foi muito positivo e fico feliz em informar que o projeto não acabou por aqui. Em breve será apresentada a face da beata Sor Ana de los Ángeles em Arequipa.

Como não poderia deixar de ser, agradeço aos que nos auxiliaram durante a efetivação de mais esse grande acontecimento: Ao meu amigo Daniel Ludwig, por ceder seu tempo e conhecimento. Ao Sr. Santiago González, a Sra. Evelyn Ayala, ao Dr. Jesús Quiroz e ao Dr. Juan Carlos Quiroz pelo apoio logístico. Ao CTI Renato Archer por seder as impressões 3D dos crânios dos Santos. Ao Sr. Arturo Chávez que nos auxiliou em tudo o que precisamos no convento Santo Domingo. Aos repórteres que converteram esse acontecimento em parte da história. As universidades que nos apoiaram no Peru: Universidad Inca Garsilaso de la Vega e a Universidad San Martín de Porres. Aos patrocinadores: Faculdade FASIPE de Sinop e Paróquia Santa Rosa de Lima, em Guarujá. A todos aqueles que direta ou indiretamente possibilitaram que tudo isso acontecesse, aqui vai o meu muito obrigado e meu grande abraço!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Spam Protection by WP-SpamFree